sábado, 26 de junho de 2010

DEVOCIONAL: QUEM DEU CRÉDITO A NOSSA PREGAÇÃO? ( Isaías 53:1)

Isaías nesse capítulo está falando profeticamente de Jesus, está falando do Salvador, que viria e seria desprezado e o mais rejeitado entre os homens( V.3), Isaias diz ainda no final do verso três que as pessoas iriam ignora-lo totalmente, o que ele ensinaria não “casaria” com a dureza do coração humano, afinal de contas: andar a segunda milha, dividir o que se tem, distribuir os bens aos mais necessitados, acolher pessoas na sua própria casa, amar incondicionalmente o inimigo, perdoar aquele que fere, não são coisas que gostamos de fazer.

A rejeição e o desprezo que aquela sociedade demonstrou por Jesus revela quem somos, revela o nosso egoísmo, revela o nosso corporativismo, revela o nosso ódio, revela a nossa ganância, revela a nossa maldade e revela a nossa mentira, nós, todos nós matamos Jesus, a sua morte expõe a nossa natureza, expõe a nossa capacidade de lutar para manter o que achamos que é nosso.

Ninguém deu crédito a pregação de Jesus, ele ficou só, foi abandonado até pelos mais íntimos, e todos que o abandonaram o fizeram para “salvar a sua pele”. Enquanto ele curou, alimentou, ressuscitou mortos, uma multidão o seguia, quando Ele mostrou a face dura da sua missão, todos perderam o interesse por Ele, todos começaram o processo da rejeição, quando chegou o momento de deixar de ser passivo para se tornar ativo dentro da missão a multidão foi embora( João 6), e os seus discípulos simplesmente dormiam enquanto ele orava em agonia suando gotas de sangue, demonstrando um profundo desinteresse por Ele( Mateus 26:36-45).

Para esse grupo sofrer não era com eles, abrir mão das suas seguranças não constava nos seus dicionários, eles não queriam o servo sofredor, queriam o messias solucionador dos seus problemas, eles não queriam a missão de Jesus, queriam as bênçãos de Jesus. Eles não foram até o final com Jesus, eles estabeleceram limites, e os limites estabelecidos eram até o ponto de não trazer prejuízos pessoais, quando eles começaram a ver que teriam que realmente abrir mão de tudo que tinham veio o medo, e junto com esse medo veio o desinteresse em continuar seguindo a Jesus.

E eles simplesmente foram embora cuidar da vida, Jesus foi sumariamente descartado, para aqueles homens o que Jesus fez foi muito louco e eles não embarcariam nessa loucura. O medo de perder os fez covardes, os fez medrosos, os fez estabelecer limites para as suas ações, optaram pela mediocridade, escolheram ficar com os seus egos, com os seus valores, com as suas pretensas autonomias, semelhantes aos dois da estrada de Emaús escolheram a covardia como modo de vida.

Esses textos são maravilhosos porque reforçam a verdade bíblica que Deus é aquele que sempre toma a iniciativa a nosso favor, apesar deles não terem dado nenhum crédito a pregação e a missão do Senhor, o Senhor não desistiu deles, e depois de ressurreto apareceu foi ao encontro de todos, ensinando-os que Ele os havia escolhido para virar o mundo pelo avesso. E aí nesse segundo encontro, ou nesse reencontro eles foram profundamente transformados pelo poder do Espírito Santo e nunca mais foram os mesmos, o medo deu lugar a ousadia, a indiferença deu lugar ao comprometimento integral com a missão, o sono deu lugar ao avivamento espiritual que os fez viver para Cristo e morrer para Cristo. Com a insistência de Jesus em salva-los e conduzi-los para a missão os seus valores foram radicalmente mudados, e devido a essa mudança podemos hoje beber dessa confiável fonte bíblica de homens dos quais Deus nunca desistiu.

Pense nisso!! A Deus toda a glória!!!

Um comentário:

  1. Parabéns, bela interpretação para um texto maravilhoso.
    Deus o abençoe !

    ResponderExcluir